logo

Set 23 2015

 

reuniao1
Em coletiva de imprensa nesta terça-feira, direção do evento apontou problemas no processo de pagamentos de fornecedores por negativa do governo estadual, o que pode vir a cancelar a etapa de 2016


O Erechim Rally Brasil é o maior e mais importante evento de rali de velocidade do Brasil, ao menos desde o início da década de 2000. Do final dos anos 90 para cá, se vão 18 edições, uma maior e melhor que outra.

A de 2015 superou praticamente todos os recordes, com mais de 70 carros no grid, participação de seis países, arrecadação superior a 14 toneladas de alimentos e um público in loco de mais de 100 mil pessoas.

Um grande evento que pode estar com os dias cotados. Isso porque, de acordo com a direção do próprio evento e da entidade organizadora, o Erechim Auto Esporte Clube (EAEC), a falta de auxilio do Governo do Estado do RS, pode inviabilizar financeiramente o Rally de Erechim.

Na manhã desta terça-feira, o Clube reuniu a imprensa para expor a situação. Primeiramente, o diretor do Rally, Claudio Pagliosa apresentou os números que envolveram o evento deste ano, incluindo a geração de quase R$ 20 milhões em gastos pelo público que assistiu à etapa brasileira do Campeonato Sul-americano, em maio.

Após, o presidente do EAEC, Everton Barbieri falou sobre a sequencia de fatos que levou o evento a tomar a decisão de repensar a edição de 2016, que briga inclusive para sediar uma etapa do Campeonato Mundial de Rali de Velocidade (WRC). “Nós aprovamos no ano passado um projeto de captação de patrocínio junto à Secretaria de Esportes do RS, no chamado Pró Esporte. Através deste, as empresas poderiam nos patrocinar pelo sistema de renuncia fiscal, através do ICMS. Investimos para fazer um grande evento e para nossa surpresa o Governo do Estado cancelou o projeto neste ano. Fizemos o evento, gastamos o que estava proposto e agora nos sobrou uma dívida grande para a estrutura do Clube, e que precisamos pagar. Por isso, infelizmente, se não houver mudança neste processo, teremos que repensar o evento de 2016 e possivelmente, para não endividar ainda mais o Clube e o evento, teremos de cancelá-lo”, apontou Barbieri.

Claudio Pagliosa disse que a intenção é fazer o Rally de 2016, mas que quer evitar qualquer tipo de inconsequência que venha a piorar a situação. “As pessoas vem para cá, porque sabem que aqui se faz com amor e competência. Nós criamos o maior evento do Brasil, que hoje tem mais de 1,2 mil voluntários envolvidos. Fizemos o evento ser reconhecido em nível internacional, mas não podemos ser inconsequentes quando falamos de pagar as contas. Estamos trabalhando muito para ajustar a situação financeira e quitar os débitos com os credores deste ano”, salientou.

Barbieri apresentou ainda dados do trabalho que está sedo feito para tentar sanar os débitos do evento deste ano. “Já conversamos com a prefeitura de Erechim, com os patrocinadores envolvidos, que viriam através do Pró Esporte, estamos expondo a situação, a nova realidade e trabalhando para tentar zerar tudo até o final de outubro. Mesmo assim, caso não haja possibilidade de haver um entendimento com o apoio do Governo do Estado em nos auxiliar para as próximas edições, teremos que repensar tudo”, disse Everton.

Claudio Pagliosa fez ainda um comparativa do tamanho do evento de Erechim. “Vamos analisar o que foi a Copa do Mundo de Futebol em Porto Alegre e o que aconteceu com o Rally de Erechim. Em termos de pessoas presentes nos estádios para ver os jogos de futebol, a gente teve praticamente a mesma coisa, 100 mil pessoas. A diferença é que em Erechim nós teríamos a possibilidade de realizar uma ‘Copa do Mundo’ todos os anos, e não há cada 65 como é no futebol. Nós não estamos sendo contra nenhum projeto, contra nenhum esporte, mas temos que deixar claro o crescimento e a importância que o Erechim Rally Brasil ganhou nos últimos anos, a quantidade de gasto por parte do público que gera a cada edição, a quantidade de alimento arrecadada que beneficia centenas de pessoas e todos os demais benefícios que o evento gera para a cidade de Erechim e para a região Norte do RS, mas que também gera para o estado e hoje o Brasil”, completa Claudio.

A Confederação Sul-americana de Automobilismo (Codasur) já acenou com a data de maio de 2016 para a realização do Erechim Rally Brasil. O evento já está marcado na Federação Internacional de Automobilismo (FIA), na própria Codasur, além da Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA). O EAEC tem até 21 de novembro para confirmar o evento, na última etapa do Sul-americano deste ano, que acontecerá no Uruguai.

Foto Edson Castro

Busca no MundoRally

Loading